Dia Mundial de Combate à Aids nossa luta é pelo fim do preconceito
sexta-feira, 15 de dezembro de 2017.
A+
A-

Dia Mundial de Combate à Aids nossa luta é pelo fim do preconceito

30/11/2017


Em 1 de dezembro é comemorado o Dia Internacional da Luta contra a AIDS. A data tem como objetivo lembrar a sociedade da intensa luta travada contra a AIDS e trazer os valores de compreensão, solidariedade e apoio as pessoas infectadas pelo vírus HIV/AIDS.

“Precisamos defender uma política mais eficaz de combate à Aids e superar o preconceito. É preciso lembrar a importância da prevenção e da necessidade imperiosa de acabar com o preconceito, principal obstáculo de combate à doença. O governo precisa intensificar e melhorar a política de informação à toda população", afirma Adilson Barros, diretor da Contraf-CUT.

Adilson lembrou que os homossexuais são as maiores vítimas da doença e sofrem o duplo preconceito, por sua orientação sexual e por serem portadores do vírus, apesar de, nos dias de hoje, não ser mais somente uma doença dos gays. “É preciso ampliar as políticas de prevenção e pôr fim ao preconceito. Avançamos em direção à cidadania, mas não temos muito a comemorar, já que a quantidade de mortes permanece alta em relação ao período passado. Há falhas em campanhas preventivas, especialmente pelo Congresso conservador que temos e interfere em campanhas para grupos de risco, como a de prevenção entre as prostitutas, alegando que estamos fazendo apologia à prostituição. Se não atualizarmos a linguagem para falar com grupos que estão mais vulneráveis, como os adolescentes, por exemplo, apelando apenas para clichês como ‘AIDS mata, use camisinha’, não vamos avançar na prevenção."

Segundo o relatório da ONU, o mundo tinha em 2016 36,7 milhões de pessoas infectadas pelo HIV, sendo que 19,5 milhões delas tinha acesso a tratamentos. Esses números mostram que, pela primeira vez, mais da metade dos pacientes está sendo atendida. O número de novas infecções também está em queda, ainda que em ritmo lento para conter a epidemia. No ano passado, 1,8 milhão de pessoas foram infectadas, o que significa uma nova infecção a cada 17 segundos. No Brasil aumentou em 3% entre 2010 e o ano passado. No mundo, essa taxa sofreu contração de 11%.

O Brasil na Luta contra a AIDS


No âmbito nacional a luta contra a AIDS também merece destaque. Na definição dos temas mundiais, a ONU e a OMS levam em consideração os níveis de crescimento e controle de cada país. O Brasil, a partir da década de 1990, tornou-se referência mundial na luta contra a AIDS, principalmente por garantir tratamento gratuito através do SUS em nível nacional há cerca de 16 anos, oferecendo medicamentos e acompanhamento médico, além de promover diversas campanhas para minimizar o contágio e diminuir o preconceito.

“O Brasil tem uma boa resposta no que diz respeito aos medicamentos disponíveis, mas a discriminação das populações mais vulneráveis continua sendo um desafio. Muitas pessoas morrem sem sequer saber que têm a doença. Elas têm medo de fazer o teste, de perder a família, o emprego e acabam chegando muito tarde ao tratamento. Não precisa ter e ser para sentir", finalizou o dirigente.

O 1º de dezembro, como Dia Mundial de Combate à Aids, foi instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 1988 para conscientizar a todos sobre a pandemia de Aids no mundo e estimular o debate sobre a prevenção, tratamento e necessidade de acabar com a discriminação.

Fonte: Contraf-CUT
Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS

Combate à Aids - 30/11/2017
Dia Mundial de Combate à Aids nossa luta é pelo fim do preconceito